Vizinha mais nova

Vizinha mais nova

Contos Eróticos

Vizinha mais nova

No mês passado, a mãe de Ana, dona Vilma, bateu a minha porta perguntando se eu poderia dar uma ajuda a Ana por uns dias, pois seu sogro estava muito doente e ela e o marido precisavam ir vê-lo em Portugal, e como eu sempre tinha sido uma vizinha muito responsável, ela queria minha ajuda pra passar a semana fazendo companhia e dando uma carona para a Ana, fazendo algumas comidas para ela, lavando suas roupas e ficando de olho na casa. A Ana iria fazer 19 anos e eu tinha 25.

Como minha faculdade e o curso de Ana eram de manhã, deu tudo certo, eu acordava, deixava Ana de carro e depois ia pra faculdade, preparava o almoço, Ana passava a tarde toda no quarto e de noite assistíamos um pouco de televisão antes de dormir.

O quarto de hóspedes que eu estava dormindo ficava ao lado do quarto de Ana, certa noite antes de pegar no sono, comecei a ouvir uns barulhos estranhos vindo do outro lado da parede, então me levantei e fui até o quarto de Ana pra ouvir melhor, me deparei com a porta entre aberta e uma cena que deixou minha bocetinha molhada na hora.

Ana estava só de blusa na cama, esfregando a bocetinha, enquanto assistia a um filme de um homem transando com duas meninas

- O que é isso, Ana? Falei sorrindo.

Ela levou um susto, puxando as cobertas pra cima do corpo desnudo e enrubesceu, o rosto vermelho como um tomate.

Eu abri a porta e calmamente fui chegando perto na cama de Ana, me sentei na beirada e segurei uma das mãos.

Ela estava morrendo de vergonha da situação e do filme que ainda passava, logo se levantou da cama pra pegar o controle na cabeceira, mostrando uma bocetinha e uma bunda linda.

- Não precisa desligar a televisão Ana, pode continuar o que estava fazendo. Aliás esse filme parece muito gostoso, até eu fiquei com tesão.

Ana aos poucos pareceu relaxar e se sentou comigo de novo na cama.

- Você está falando sério? Não imaginei que você fosse levar isso tão de boa.

- Relaxa, eu não sou sua mãe e faz um bom tempo que não bato uma siririca, vamos só relaxar...

Depois de falar isso, tirei minha calcinha por baixo da camisola curta de cetim e me espreguicei na cama king size de Ana, voltei a prestar atenção no filme e comecei a tocar siririca ao lado de Aninha, que depois de uns segundos ficou a vontade de novo pra continuar o que fazia, quando eu a interrompi.

Aquela situação estava muito excitante, Aninha batia uma siririca frenética pro filme e eu batia uma siririca olhando Ana se tocar, até aí já dava pra perceber que ela era na verdade tão putinha quanto eu.

No filme começou uma cena na qual uma das mulheres chupava a outra, enquanto o homem só olhava batendo punheta.

- Ana?

- Oi?

- Você já foi chupada por uma mulher?

Eu perguntei descaradamente, enquanto acariciava a barriga dela, que se arrepiou ao meu toque

- Não... Ao ouvir isso fui descendo a mão que acariciava a barriga.

- Você quer ser chupada agora? Ela só fechou os olhos e começou a rebolar nos meus dedos, entendi aquilo como um sim e fui me ajeitando com o rosto entre as pernas de Aninha, a visão de sua bocetinha era demais pra mim, enfiei aquela bocetinha linda na boca e comecei a chupar ela bem gostoso, ora chupava, ora masturbava ela, mordendo de leve o grelinho inchado.

- Ai Selena que delícia, não para, não para, isso é muito gostoso, nossa...

- Tá gostando sua safadinha? Eu só vou parar depois que você tiver gozado na minha língua, sua gostosa, agora levanta que eu quero você sentada esfregando essa bocetinha na minha cara.

Ana não se fez de rogada, assim que eu deitei de barriga pra cima a menina veio por cima cavalgando minha boca.

- Aaaaah, aaah que gostoso, aaaah assim, chupa gostoso essa bocetinha...

Enquanto ela cavalgava no meu rosto, eu aproveitava pra passar a língua em seu cuzinho e dar tapas na bunda gostosa dela.

- Gemeeee, goza pra mim, goza

Ela rebolava gostoso no meu rosto, enquanto gritava num gozo delicioso e saiu de cima de mim com as pernas tremendo, logo a menina se deitou ao meu lado na cama recobrando o fôlego.

Dessa vez fiquei por cima dela e lhe dei um longo e demorado beijo de língua, pegando ela no susto, mas ela logo se rendeu aos meus beijos enquanto apertava minha bunda.

- Esse beijo foi pra você sentir o gosto da sua bocetinha na minha boca. Sentiu o gosto do seu melzinho?

- Ai Selena eu adorei sentir o gosto do meu melzinho na sua boca, agora eu quero que você me chupe todas as noites...

Ela era sem dúvidas a mulher mais linda que eu já tinha visto e eu estava doida pra transar mais, fui tirando sua blusa e chupando seus peitinhos durinhos enquanto ela tirava minha camisola, ficamos nos beijando e chupando os peitos uma da outra por vários minutos...

Eu ficava por cima enquanto ela segurava minha bunda, forçando meu quadril pra nossas bocetinhas se esfregarem...

- Aaah isso Aninha, que bocetinha gostosa você tem, sente só que delícia nossas bocetinhas babando uma na outra.

- Tá gostando minha gostosa? Tá uma delícia sentir sua bocetinha assim em contato com a minha

- To amando minha putinha, enfia o dedo no meu cuzinho, enfia...

Ana logo começou a enfiar o dedo médio no meu rabo, juntas fazíamos um movimento muito gostoso fazendo pressão grelinho com grelinho, isso já estava quase me fazendo gozar, mas eu queria mais, queria gozar naquela boquinha linda.

- Chupa minha bocetinha, chupa Ana?

Eu deitei de barriga pra cima e abri bem as pernas, enquanto ela se ajeitava, a menina começou com timidez, lambendo minha bocetinha de baixo pra cima como se tivesse medo de errar.

- Chupa sem medo amor, coloca o grelinho na boca e chupa como se fosse uma bala, aaaah, isso minha safadinha, assim...

Aninha começou a ter mais confiança e chupar minha bocetinha com mais vontade, ela aprendia rápido e logo começou a enfiar dois dedos, enquanto chupava meu grelinho de forma sensacional...

- Sua bocetinha é uma delícia, é docinha, quero que você goze gostoso na minha língua...

Conforme continuou, Aninha passou a chupar mais gostoso ainda, metendo um dedo na minha boceta e outro no meu rabinho bem rápido!

- Goza agora... você gosta disso né!

Olhando para ela com aquela cara sapeca, não consegui me segurar, gozei deliciosamente em sua boca. A cama estava toda molhada embaixo na minha bunda e mesmo depois de ter gozado muito na boca de Aninha, ela continuou deitada dando beijinhos suaves por toda a minha virilha.

Depois de um tempo descansando na cama, eu fui pegar água e ir pro meu quarto dormir, ao voltar da cozinha Aninha me chamou.

- Selena, dorme comigo hoje? Foi tão gostoso transar com você, fica comigo essa noite, vamos dormir juntinhas.

- Eu adoraria dormir com você!

Dessa maneira nós duas nos deitamos peladas, de conchinha, eu por traz de Ana, encoxando sua linda bunda.

No outro dia pela manhã, o celular despertou, nos acordando cedo, ela estava se levantando da cama pra se arrumar pra faculdade, quando eu a puxei. 

- O que você acha de faltar aula hoje? Vamos ficar aqui na cama curtindo, seus pais chegam amanhã e eu quero aproveitar bem esse tempo.

Aninha me olhou com cara de safada e me deu um beijo, nós duas fomos tomar banho juntas e fazer café da manhã, depois voltamos pro quarto. Aninha me empurrou na cama me beijando e chupando meus peitos

- Espera aí que eu já venho!

Ana saiu do quarto no corredor em direção ao quarto dos pais, depois de alguns minutos voltou com um pênis de borracha vibratório bem grande, devia ter uns 25 cm.

- Isso é da minha mãe, achei no armário dela esses dias enquanto procurava um sapato meu...

Vamos nos divertir com ele hoje. Ela e eu começamos um 69 bem gostoso, enquanto eu rebolava na boca dela,  eu também aproveitava pra meter o pênis de borracha na bocetinha dela enquanto chupava seu grelinho...

- Huuuum ai, ai que delícia, isso enfia, enfia esse pau na minha bocetinha Selena, aaai que delícia isso, aaaah...

- Pode deixar que da sua bocetinha eu vou cuidar muito bem, toma essa pica sua gostosa, goza gostoso...

Ficamos nesse 69 uns 5 minutos até que bocetinha da Ana começou a piscar, dando os sinais de que ia gozar, comecei a rebolar gostoso na boca dela e enfiar o vibrador mais rápido, até ouvir ela gritando com minha boceta na boca..

Ver Aninha gozando era a coisa mais linda do mundo, as pernas dela ficavam bambas e ela gritava de prazer, enquanto o seu melzinho escorria.

Depois de Aninha gozar, eu me deitei de barriga pra cima ao seu lado e liguei o pênis de borracha na minha própria xota.

- Agora é minha vez de gozar com esse caralho, mas quero que você me foda, vem...encaixa a outra ponta desse caralho na sua bocetinha e vem me comer minha putinha.

Eu já havia enfiado uns 10 cm do pinto de borracha na minha bocetinha, quando ela se levantou e enfiou o resto dele na bocetinha dela, ficando na posição de tesourinha comigo... Logo ela começou o movimento de subir e descer na pica de plástico.

O vibrador ficava indo e voltando engatado em nossas bocetas. A medida que Aninha fazia os movimentos, nossas bocetinhas acabaram se encostando, grelinho com grelinho... curtinho a pica, vibrando dentro de nós, Aninha apertava meus peitos, enquanto eu puxava o cabelo dela.

- Ai Aninha que gostoso, que delícia, hmmm... aaaah.... isso, eu não tô aguentando estou quase gozando, quero que você goze comigo!!!

Assim que a bocetinha dela começou a piscar gozando, eu explodi num gozo também, nós duas gozamos juntas sendo fodidas pelo vibrador da mãe dela, depois disso... passamos o resto do dia na cama transando."

Foto capa: @wefeast.life

Deixe um comentário

Liquid error: Could not find asset snippets/hulkappsWishlistPopup.liquid
Carregando Ambiente Seguro
Carregando Ambiente Seguro