Praia deserta

Praia deserta

Contos Eróticos

Praia deserta

Eu e meu companheiro somos surfistas de stand up nas horas vagas, então sempre viajamos pra alguma praia nas nossas férias.

Em dezembro decidimos ir pra Serra Grande. Então, alugamos uma casinha, botamos nossa bagagem no carro e fomos encontrar aquelas praias paradisíacas e desertas na Bahia.

O paraíso, com certeza tem mar e faz 28 graus, estávamos em casa, relaxados, tranquilos e felizes.

Mas esse calor e sal da Bahia não faz só isso, ele desperta aquele calor que tá lá no fundo, desperta o tesão, a sensualidade e a paixão.

Em uma de nossas manhãs de férias, o dia acordou meio nublado, dia propício pra fazer uma trilha e ir numa praia mais afastada (e deserta). Arrumamos nossas coisas e fomos. O respiro do mato, as águas dos rios e aquela brisa fresca era tudo que queríamos.

O Fran desde aí já me provocava, falava que eu estava uma gostosa naquela roupa, que tava doidinho pra me comer no meio daquela trilha e do rio, passava a mão na minha bunda de vez em quando.

Ele era daqueles estilo surfista, alto, saradinho, bronzeado, calção de banho desamarrado e um jeitinho sexy desleixado, o que combina comigo, morena, cabelo meio clareado de sol e modesta parte uma raba de dar inveja.

Eu já estava começando a entrar na onda da sacanagem em meio a natureza e aquilo tudo me deixava excitada e mais safada do que já sou, a vontade era de cair de boca naquele pau ali mesmo, mas ainda estávamos na trilha, essa espera e caminhada eram excitantes.

Quando chegamos, foi um choque de beleza natural e o tempo também colaborou, afinal o tempo abriu assim que chegamos na praia. Estava bem vazia, mas ainda tinha uns banhistas.

Achamos um lugarzinho na areia mais afastado e ali colocamos nossas pranchas e coisas. Sentamos pra tomar uma água e descansar, quando vi o Fran já estava de pau duro com aquele calção meio aberto, olhei pra aquilo maravilhada, depois nos olhamos com nossa cara de safados, então ele deu aquele sorrisinho, que era que era um convite pro prazer e gozo.

Comecei a massagear aquele pinto grosso e grande, era lindo e apetitoso, quase uma escultura de tão perfeito. Pegava nas bolas, períneo, cabeça.

Aproveitando que não tinha ninguém perto, comecei a bater uma punheta pra ele, inicialmente, num ritmo mais calmo e sensual.

A gente se beijava, se agarrava sentadinhos na areia, sem ninguém nem perceber a putaria ao ar livre que tava rolando. Comecei com umas estocadas mas rápidas e fortes, enquanto dava umas mordidinhas e beijos na orelha e pescoço, resultado: primeira gozada do dia.

Ele, ainda em êxtase, disse que queria retribuir, que desse meu jeito eu acabava com ele, que melhor não há.

Tirei meu short, ficando minha bunda malhada dentro de um fio dental, que me deixada ainda mais gostosa e sentei entre suas pernas na sua frente. Ele arredou minha calcinha pro lado e começou a dedilhar minha buceta. Ah... como o Fran me conhecia... ele começou com um carinho bem de levinho nos meus grandes lábios, com movimentos suaves e carinhosos.

Foi adentrando minha vulva, acariciando cada pedaço, com seus dedos firmes. Nessa altura eu estava toda encharcada de excitação. Ele botou um dedo inteiro na minha vagina que saiu todo lambuzado, tirou e lambeu tudo, como se fosse um beija-flor sugando a seiva doce e nutritiva de uma flor.

Ele começou, então, a fazer movimentos circulares no meu clitóris, começando devagar e leve, enquanto gemia na minha orelha, me chamava de gostosa, de sua, de linda e dona da melhor buceta.  

Depois o ritmo começou a aumentar, bem como a pressão sob meu clitóris, os beijos na nuca e as puxadas de cabelo. Isso e aquele lugar me faziam explodir de tesão e excitação, até que ele fazendo esse movimento no clitóris, enfiou o dedo na minha buceta molhadinha e com movimentos massageadores do ponto g e no clitóris.

Aquilo me fez entrar em um estado de transe por alguns momentos o ritmo aumentava e o orgasmo embriagante veio forte e me fez quase levitar de tanto tesão. Isso Isso tudo num lugarzinho nosso afastado na praia.

Deitamos em nossas pranchas pra repor as energias e descansar um pouco.

Mas essa praia teve história, isso foi só um aquecimento pro que estava por vir e não para por aí, esse dia ainda rolou várias sacanagens no mar e no rio. Por hoje é só,o resto da putaria fica pra amanhã.

Foto capa: @lakeflora

Deixe um comentário

Carregando Ambiente Seguro
Carregando Ambiente Seguro