Eu amo morar no seu abraço

Motoboy Grátis RJ - acima de R$200: Zona Sul, Grande Tijuca, Grande Méier, Barra da Tijuca, Recreio, Jacarepagua

Eu amo morar no seu abraço

Eu amo morar no seu abraço

Contos Eróticos

Eu amo morar no seu abraço

Bianca e Rodrigo, para qualquer um que os visse saberia e entenderia que ele eles têm uma conexão de outras vidas. São sincronizados. Um casal que faz florescer felicidade só de observar. A compreensão, o carinho, o respeito que um tem com o outro, claro que todos temos nossos problemas e com certeza eles tinham os dele, mas essa era uma semana que eles estavam vivendo em plenitude.


Bianca chegou do trabalho, um pouco cansada, ela trabalha como diretora de arte de uma empresa bem renomada, com o bom salário também vinham longas horas de trabalho. Já Rodrigo, era escritor, para ele as regras e jornadas de trabalho eram muito mais flexíveis, sempre que podia preparava jantares especiais. E nessa quinta-feira não foi diferente.


Bianca entrou no apartamento e já sentiu o cheiro irresistível da lasanha de Rodrigo. Ela ficou tão animada que poderia sentir o cansaço do corpo ela indo embora.


“Meu amooooor” falou ela assim que passava pela porta. “Não acredito que você passou o dia fazendo sua lasanha”. E realmente Rodrigo passou o dia fazendo isso, a massa, o molho, eram todos feitos por ele, em outras palavras era arte em forma de alimento.


“Eu percebi que essa semana estava sendo difícil para você… Eu tive uma folguinha hoje e resolvi te mimar um pouquinho” ele falava enquanto a abraçava e enchia ela de beijos. “Acho que mais uns vinte minutinhos no forno e ela fica pronta”.


Bianca tomou um banho, colocou uma roupa confortável e serviu duas taças de vinho para eles. Rodrigo colocou a lasanha na mesa e eles jantaram. A janta estava impecável, extremamente saborosa, se percebia a riqueza no detalhe de cada ingrediente usado. Ela sempre tentava convencer Rodrigo a escrever livros de receita, além dos de ficção, mas a resposta sempre era a mesma “não quero, minhas receitas são para as pessoas que eu amo, apenas”. Ela ficava quentinha com as resposta dele, e sempre comia mais um prato depois, mas mesmo assim não deixava de encoraja-lo.


Mais tarde, ambos já na cama, eles se enfiaram em uma conchinha gostosa; Bianca vira o rosto para Rodrigo e o vê todo sorridente. Ela se vira por completo e pergunta: “o que foi?”, “nada”, ele responde sorrindo mais e chegando mais perto dela, como se fosse possível estarem mais colados.


“Sabia que eu te amo muito” ele falou para ela, acariciando seu rosto com a mesma delicadeza que se seguraria uma obra de arte renascentista. “Não mais do que eu” ela respondeu, enquanto chegava com o rosto mais perto para beija-lo. O beijo começou calmo como um abraço, um encontro tímido de almas. Sem nenhuma vontade, por parte de ambos, de descolar os lábios, o beijo foi se tonando menos puro e mais cúpido.

Bianca entrelaça suas pernas em Rodrigo enquanto ele a puxa ainda mais perto, deslisando suas mãos para a bunda dela, dando sustentação para colocá-la em cima dele. Ela levantou seu tronco, sentando no colo dele e arrancando sua blusa, e se debruçando para que seus peitos encaixassem na boca dele. Ele chupou os peitos dela e fez questão de dedicar um tempo especial para cada mamilo. Enquanto chupava um, acariciava o outro. Não demorou para que eles arrancassem toda a roupa um do outro e ela sentasse na cara de Rodrigo, ela rebolava o quadril e ele chupava e sugava seu clítoris de forma ritmada, acompanhando seus movimentos. Bianca já estava ensopada de prazer.


Rodrigo se utilizou de uma camisinha que estava na mesa de cabeceira e colocou Bianca para sentar bem gostosinho no seu pau. Ela rebolava, quicava, se esfregava. Era pornografia pura, mas uma pornografia apaixonada.


Ele a virou, ficando por cima dela, encarando-a nos olhos. “Eu te amo, sua puta” ele disse bem baixinho no ouvido dela. Sem que ela pedisse, nem comentasse, ele tomou a iniciativa de pegar a o vibrador em formato de varinha magica.


Enquanto ele metia nela, colocou o vibrador em seu clítoris com uma mão e segurou firme no pescoço de Bianca com outra. Ela estava surpresa e completamente rendida. Era a primeira vez que ele usava esse brinquedinho com ela. A única coisa que se passava pela cabeça de Bianca era que ela estava absolutamente apaixonada por aquele gostoso que ela chamava de seu.


Não demorou para que ambos gozassem. O sorriso anestesiado de quem acabou de ter um orgasmo fodido estava estampado na cara dos dois. Ela deu vários beijinhos na cara de Rodrigo. Ele se levantou para lavar o vibro e jogar a camisinha fora.


Ele voltou e se encaixou numa conchinha com Bianca. Ela se aconchegou esfregando sua bunda no pau dele. Ele riu baixo, deu um beijo no pescoço dela e disse “eu amo morar no seu abraço”.


Escrito por Valentina Squadroni

Deixe um comentário