Enfermeira safada

Motoboy Grátis RJ - acima de R$200: Zona Sul, Grande Tijuca, Grande Méier, Barra da Tijuca, Recreio, Jacarepagua

Enfermeira safada

Enfermeira safada

Contos Eróticos

Enfermeira safada

Em um sábado de março, Matheus, meu namorado há quase dois anos, quebrou a perna jogando futebol.

Por isso, teve que ficar com a perna imobilizada com gesso por um tempo e com movimentos bem restritos por causa da lesão. Mas nem eu e nem meu tesão tínhamos nada a ver com isso. Ele ficava choramingando que estava com dor, que não conseguia fazer nada.

- Tudo bem. Fim de semana eu cuido de você, vou ser sua enfermeira.

Cheguei na casa dele sábado, depois do almoço. Passamos a tarde vendo série e à noite falei que iria pedir um japa. Pedi a comida, quando chegou, como Matheus estava debilitado, tive que ir receber. Mas não seria uma noite de japa qualquer. Durante a semana pensei em inovar e aproveitar a situação pra fazer algo diferente. Fui numa sexshop que já conhecia e comprei uma fantasia de enfermeira e uma vela de massagem.

Recebi a comida e fui ao banheiro me trocar. Tirei o vestidinho que estava, pus uma lingerie de renda vermelha e a fantasia de enfermeira. Me olhei no espelho e como eu estava gostosa! Eu estava sexy demais. Eu até achava isso de fantasia cafona, mas ela ficou muito bem em mim. Valorizava as curvas do meu corpo. Passei um batom vermelho e fui na cozinha pegar a comida. Quando voltei ao quarto, Matheus estava distraído e quando me viu arregalou os olhos numa reação de espanto e admiração.

- Sua comida chegou, vim cuidar de você – anunciei.

- Que isso? De onde veio isso? – perguntou ele rindo e surpreso.

- Ué, eu disse que vou cuidar do meu paciente. Eu sou sua enfermeira – respondi.

Sentei na ponta da cama e comecei a dar comida na boca dele. Ele não falava nada, mas dava pra ver na cara dele que estava me comendo com olhar. Ele não tirava o olho de mim e aquilo me excitava, me fazia sentir a gostosa que sou. Não deixava ele me tocar. Dava cada peça sensualmente e devagar na sua boca, enquanto o desejo dele só aumentava o meu tesão.

Após dar a última peça na boca dele, dei um beijo breve nele com uma mordidinha nos lábios.

- Muito bem. Comeu tudinho – disse, provocando-o.

- Eu quero comer mais – disse ele me atiçando.

Enquanto levantava e saía do quarto, notei que ele me acompanhava com olhar secando a minha bunda.

Quando voltei, levei a vela comigo.

- Vai começar sua sessão de fisioterapia – avisei.

- O que é isso? – perguntou ele.

- Você vai ver.

Acendi a vela, apaguei a luz e mandei ele deitar-se de costas na cama. Dei um beijo na orelha, mexi no cabelo dele e tirei a blusa. Fui beijando suas costas, passando a mão levemente por ela, até chegar ao short e retirá-lo também. O deixei apenas de cueca de bruços. Fiz inicialmente um carinho em suas costas com alguns beijos pelo corpo, orelha e pescoço. A vela já tinha derretido um pouco. Comecei a jogar o óleo da vela pelo seu corpo, enquanto massageava. Fazia uma massagem firme e lenta, e ele parecia estar gostando. Aos poucos, comecei a provocá-lo mais.

Retirei parcialmente a parte de cima da fantasia e comecei a massageá-lo com meus seios. Meus peitos melados de óleo deixaram meu bico duro e lindo. Eu já estava bem molhada enquanto imaginava o tanto de tesão que ele estava sentindo.

O virei de frente para massageá-lo e o pau dele estava muito duro, marcando toda a cueca, querendo pular para fora e eu só pensava em meter ele todinho na minha buceta.

Dei um beijo leve e joguei o óleo em seu peitoral e barriga e comecei a massageá-lo novamente. Ele ficou ainda mais gostoso com o óleo de massagem e eu passava as mãos desejando aquele corpo todo.

Matheus suspirava e me olhava. Enquanto passava as mãos pelo seu peito, passei meus seios bem perto da boca dele para provocá-lo. Ele apenas botou a língua para fora, que acertaram em cheio meu mamilo esquerdo. O pau dele latejava na cueca e aquilo estava me deixando louca. Mudei de posição e fiquei de joelhos na cama, com a bunda virada para o Matheus, para massagear suas pernas. Eu pude perceber ele me devorando com os olhos. Enquanto eu massageava suas coxas, não parava de olhar para seu pau que estava implorando pela minha buceta molhada.

De repente, ele botou a mão nos meus pés, como quem pede aprovação para me tocar. Não reagi. Comecei a tirar a cueca dele, e o pau dele saltou para fora de tão duro que estava. Com a cabeça bem grande e todas as veias querendo explodir. Aos poucos, ele foi subindo a mão pela minha perna, minhas coxas, até chegar na minha bunda. Deu uma apertada nela e fintou meu cu com um dedo entre as nádegas. Aquilo me arrepiou.

Eu já estava fervendo de tesão. Joguei um pouco do óleo de massagem na minha mão e enquanto ele apertava minha bunda, comecei a bater uma punheta pra ele. Deixei o pau dele bem melado e comecei. O pau dele estava quente demais e eu estava desejando-o demais. Passei a mão lentamente pela cabeça e ela estava uma delícia. Matheus desceu suas mãos e passou na minha buceta, sentindo minha calcinha toda encharcada de tanto tesão que eu estava.

Masturbei e senti aquele pau gostoso por um tempo até que me ajoelhei sobre as pernas de Matheus e olhando pra ele abocanhei aquela piroca gostosa. O olhar dele era de quem estava nas nuvens. E devia estar. Me vendo de batom vermelho engolindo aquela pica enquanto meus peitos balançavam e roçavam em suas pernas. Ele segurava meu cabelo, mas era eu quem ditava o ritmo. Ele mexia a cabeça para ver seu pau entrando na minha boca e eu o devorava. Estava faminta. Depois de chupar bastante, me levantei e do lado dele tirei minha roupa. Me abaixei lentamente, provocando o, enquanto tirava a calcinha,deixando minha bunda bem aberta ao seu lado. Ele não resistiu. Me deu um belo tapa na bunda.

Voltei para cama abrindo as pernas e sentando na cara dele. Minha buceta estava tão molhada que deve ter pingado na cara dele. Rocei minha xota em todo seu rosto até parar em sua boca para ele poder chupá-la. Fiquei rebolando na cara do Matheus, enquanto ele me chupava. Peguei mais óleo de vela e joguei pelos meus peitos e comecei a massageá-los, enquanto era chupada. Que delícia estava aquilo. Me deitei sobre seu corpo e comecei a chupar o pau dele novamente no 69.

- Que pau gostoso – falei gemendo.

Ficamos alguns minutos naquele meia nove gostoso e molhado até que me ergui e fui deslizando minha buceta pelo corpo do Matheus, até chegar no pau dele. Fiquei rebolando nele, mas sem enfiar, apenas provocando. Ele começou a arranhar minhas costas e segurar meu quadril controlando o movimento do meu rebolado. Eu conseguia ouvir sua respiração ofegante e como ele estava desejando me comer.

Fui deslizando aos poucos até deixar o pau entrar. Que delícia! Quando ele entrou todo e foi tudo dentro de mim, parei por uns três segundos pra sentir aquela pica gostosa. Comecei a quicar cada vez mais rápido.

Queria ouvir o barulho da minha bunda batendo no seu corpo.

- Bate na minha bunda – pedi.

Eu quicava, quicava e quicava. Apertava e beliscava meus peitos e estava desesperada para gozar. Comecei a passar a mão no meu clitóris e estava chegando lá. Quiquei. E os estalos dos tapas de Matheus estavam me levando ao ápice.

- Vou gozar! Vou gozar! Vou gozar! – gemi alto, relaxando com o pau dele todo dentro de mim.

Respirei e sentia o pau dele latejando dentro da minha buceta. Dei algumas reboladas devagar para desfrutar um pouco mais daquela piroca. Aos poucos fui tirando. Me virei para Matheus e o beijei muito,roçando meu corpo em seu pau. Ele apertava minha bunda e me batia. Ele queria mais.

Desci deslizando minha boca pelo seu corpo. Chupei seus peitos com algumas mordiscadas. E continuei descendo. Massageei as bolas enquanto o olhava. Ele estava maluco de tesão. Louco para eu cair de boca na pica dele de novo. Chupei suas bolas enquanto o masturbava. E então comecei a chupar o pau dele.

Chupei forte batendo uma punheta. Não demorou muito e ele avisou que ia gozar. Continuei chupando até que aquele pau entrou em erupção. Gozou tudo na minha boca. Ele gemia de prazer e eu continuava chupando o pau dele. Sugando até a última gota daquele gozo. Engoli tudo. Aos poucos fui subindo e deitei ao seu lado. Dei um selinho e um beijo na bochecha e deitei ofegante abraçada por seus braços.

autoria: EDNAX

Foto capa: @lakeflora

Deixe um comentário